Resenha Histórica

A Academia Militar tem o seu antecedente histórico na "Academia Real de Fortificação, Artilharia e Desenho", criada por D. Maria I, em 1790.

Marquês de Sá da Bandeira

1Patrono Redonda

A Academia Militar tem as suas origens na "Lição de Artilharia e Esquadria", criada por decreto de D. João IV, a 13 de maio de 1641, considerada como a “primeira escola de ensino militar de formação de oficiais do Exército em Portugal”. Em plena guerra da restauração, a "Lição de Artilharia e Esquadria" teve as suas instalações no Paço da Ribeira, local do próprio Palácio Real, na atual Praça do Comércio.

No entanto, enquanto instituição de ensino superior militar, a Academia Militar tem como antecedente a "Academia Real de Fortificação, Artilharia e Desenho", criada por D. Maria I, a 2 de janeiro de 1790, considerada como a “primeira escola de ensino superior militar de formação de oficiais do Exército Português”, destinada ao ensino superior das matérias de interesse para Oficiais de Artilharia e Engenharia (cursos de 4 anos), de Infantaria e Cavalaria (cursos de 3 anos) e a alunos Civis ("Os Paisanos") que desejassem habilitar-se a Engenheiros.

Esta Academia, começando por se instalar no Arsenal do Exército (em Santa Apolónia), passou por vários edifícios da capital, desde o Palácio da Regência, onde se manteve até 1796, tendo transitado para o Palácio de Calhariz, e daí para o Real Colégio dos Nobres. Neste mesmo local, a 12 de Janeiro de 1837, a mesma Academia passou a designar-se por Escola do Exército, por iniciativa de Bernardo de Sá Nogueira de Figueiredo - o Marquês de Sá da Bandeira. A partir de Janeiro de 1851, a Escola do Exército passou a instalar-se no Palácio da Bemposta, onde ainda se mantém um dos seus dois polos.

O segundo polo foi criado, em 1951, na Amadora, tendo passado por várias designações na sua evolução e atualização: Escola do Exército - de 1837 a 1910; Escola de Guerra - de 1911 a 1919; Escola Militar - de 1919 a 1938; novamente Escola do Exército - de 1938 a 1959 e Academia Militar - desde 1959.

A Academia Militar tem como Patrono o Marquês de Sá da Bandeira, que foi aluno da Academia Real de Fortificação, Artilharia e Desenho, e cuja designação alterou para Escola do Exército, a 12 de janeiro de 1837, Escola da qual viria a ser o seu mais ilustre Comandante, entre 1851 e 1876.

Assim, o dia da Academia Militar comemora-se a 12 de janeiro, com a dignidade e solenidade adequadas à efeméride.

O Estandarte Nacional à guarda do Corpo de Alunos da Academia Militar

Cada unidade militar tem à sua guarda uma Bandeira Nacional que se designa por Estandarte Nacional, diferindo daquela por ter uma forma quadrangular e pela inclusão da frase retirada dos Lusíadas “Esta é a ditosa Pátria minha amada”, colocada sob o escudo nacional.

Na Academia Militar, o Estandarte Nacional está entregue à guarda do seu Corpo de Alunos, sendo transportado pelo seu aluno mais antigo, e escoltado por outros três alunos especificamente selecionados.

O Estandarte Nacional da Academia Militar, ostenta as mais altas condecorações nacionais e estrangeiras, como reconhecimento do seu mérito na formação de líderes militares, cujo contributo foi essencial para a independência e desenvolvimento da Nação, nomeadamente:

AM5

• Cavaleiro da Ordem Militar da Torre e Espada (1935)

• Medalha de Mérito Militar do Brasil (1955)

• Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique (1961)

• Membro Honorário da Ordem de Santiago da Espada (1984)

• Membro Honorário da Ordem Militar de Avis (1987)

• Grã-Cruz da Ordem do Mérito Militar de Espanha (2006)

• Medalha de Ouro de Serviços Distintos de Segurança (2010)

Brasão de Armas da Academia Militar

Cada unidade militar é identificada através de um brasão de armas, numa tradição heráldica que remonta à antiga cavalaria medieval.

BrasaoArmasCorel1

O brasão de armas da Academia Militar distingue-se por um escudo em cor vermelha, incluindo um leão rampante de ouro, segurando na garra dianteira direita uma espada antiga e na garra dianteira esquerda um livro aberto, assim simbolizando a força do Exército e o conhecimento dos seus Oficiais.

Destaca-se também sob o brasão, a condecoração com o grau de Cavaleiro da mais alta condecoração nacional, a Ordem da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito, bem como a sua divisa “DULCE ET DECORUM EST PRO PATRIA MORI”, significando “é doce e honroso morrer pela Pátria”.

 
Conheça o Palácio da Bemposta

O Palácio da Bemposta, localizado no Paço da Rainha em Lisboa, é o edifício onde está localizado o comando da Academia Militar, constituindo um dos mais belos palácios da capital.

Galeria de Comandantes

Fotos e datas dos ex-comandantes - Conheça os Comandantes da Academia Militar desde 1841

Alunos Ilustres - A Academia Militar tem sido escola de muitas personalidades notáveis da Nação, contando entre outros com sete antigos Presidentes da República e muitas outras entidades que assumiram e têm assumido relevantes funções políticas e militares em Portugal e no estrangeiro.

Alunos Mortos ao Serviço da Pátria - Neste espaço honramos os nossos melhores, os  ex-alunos que fizeram o último sacrifício, dando a sua vida pela Pátria.